Tipiti

Qual amazonense nunca ouviu falar do paneiro? Quem nunca bebeu água de pote e já viu um tipiti? Você sabia que a cuia nasce em uma árvore? Se você respondeu sim a essas perguntas, muito bem! Você é um amazonense daqueles que sabe o que é uma casa de farinha, já matou a sede com a água do rio e sabe que a floresta nos dá cestos e pratos. Você teve a oportunidade de acessar um pouco da essência da nossa cultura, a cultura Amazônica.

Agora se você respondeu não em algumas das questões:

• Ou você faz parte daqueles amazonenses que pensam que o Amazonas se resume à Manaus, Iranduba e Presidente Figueiredo;
• Ou quando foi ao sítio já tinha luz elétrica, o tipiti foi substituído pela prensa, o pote de barro por uma geladeira cheia de garrafas de PET e pensa que paneiro é um instrumento musical.

Mas isso não quer dizer que sejamos menos ou mais amazonenses, quer dizer que nossas origens estão se perdendo, nossa cultura indígena e ribeirinha está sendo substituída pela modernidade que entra nas nossas casas sem pedir licença e transforma o rústico e sustentável em industrial e poluidor.

O Instituto Amazônia Mais está preocupado com a acelerada perca das raízes indígenas e ribeirinhas na capital e no interior do Amazonas, por isso desenvolve um trabalho de mapeamento e divulgação do artesanato amazônico. Sabemos que por traz de cada teçume, cada entalho na madeira, cada biojóia e cada louça de cerâmica e barro há uma linda história que resgata nossa essência.

Com uma equipe reduzida no ano de 2015, mapeamos dois municípios do Amazonas, para saber o que havia de tão transformador no artesanato do Amazonas:

1. São Gabriel da Cachoeira – Dista 852 Km de Manaus.
2. Novo Airão – Dista 180 Km de Manaus.

Descobrimos a garra de um povo que se preocupa em preparar seus descendentes para o futuro, descobrimos homens que entenderam que uma árvore em pé pode render muito mais do que a madeira ilegal dela extraída, descobrimos o orgulho da independência financeira e a certeza da prática da sustentabilidade, mas também descobrimos a frágil continuidade desses costumes.

São Gabriel da Cachoeira


São Gabriel da Cachoeira é o município do Amazonas cujo 98% da população é indígena. As etnias Tuyuka, Kuripako, Baniwa, Tukano, entre outras confeccionam artesanato há gerações.

Para os índios de São Gabriel da Cachoeira o artesanato é utensílio doméstico, é fonte renda, é a herança dos antepassados, é lição para a maturidade e marca a transição da fase infantil para a fase adulta, ou seja, é a identidade cultural desse povo.

Novo Airão


Novo Airão é um pequeno município pertencente à Região Metropolitana de Manaus e possui 17.671 habitantes. Conhecida como a terra do boto cor-de-rosa, Novo Airão é cercada de ilhas e belas paisagens. A confecção de artesanato em Novo Airão tem crescido ao longo dos anos, hoje existem muitas cooperativas e associações de artesanato que contribuem para mudança de vidas de muitas pessoas.

Percebe-se que em Novo Airão o empreendedorismo ribeirinho tem tido sucesso graças à iniciativas de várias instituições governamentais e não governamentais que apostaram na capacitação dos artesãos locais e contribuíram para que o artesanato fosse uma alternativa de renda local, o que culmina diretamente na preservação da floresta. Hoje existem famílias que vivem diretamente do artesanato e testemunham com muito orgulho e satisfação como o artesanato contribuiu para a melhoria da qualidade de vida dela e sua casa.


É com muito orgulho que o Instituto Amazônia+, através do Programa Tipiti lhe conta essas histórias e lhe concede a oportunidade de protagonizar a valorização da cultura indígena e ribeirinha e também contribuir coma a preservação da floresta. Nosso objetivo é mostrar quem está por trás dessas belezas artesanais, é compartilhar com você o que temos tido o privilegio de contemplar com nosso trabalho, é te mostrar que quando você compra um artigo artesanal da Amazônia está beneficiando diretamente um ribeirinho e você os permite sustentar suas famílias e perpetuar a cultura amazônica.

PS: Os sites e os vídeos do projeto Tipiti estarão disponíveis em breve.